segunda-feira, 10 de maio de 2010

NEM 'ÓPIO DO POVO', NEM 'PÁTRIA EM CHUTEIRAS'

O Brasil entrará definitivamente no clima de Copa do Mundo quando o técnico Dunga anunciar seus convocados, nesta 3ª feira (11).

Então, é um bom momento para darmos uma recapitulada nos 18 Mundiais de futebol já disputados, com destaque, claro, para os cinco vencidos pelo Brasil.


É o que fiz nos sete artigos da série Recuerdos dos Mundiais, criada para o Congresso em Foco e que está disponível para publicação e/ou repasse:

* AQUI ERA O PAÍS DO FUTEBOL
* 1958: A CONQUISTA DA HONRA
* 1962: O MUNDO AO PÉ DO MANÉ
* 1970: 'APESAR DE VOCÊ', UMA CAMPANHA EXUBERANTE
* 1994: O TETRA CAUTELOSO
* 2002: FELIPÃO ROUBA A CENA
* 2010: RITO DE PASSAGEM OU MAIS DO MESMO?

Agora, inclusive, conta com os vídeos dos melhores lances das finais de 1958, 1962, 1970, 1994 e 2002, para matar as saudades.


Trata-se, sobretudo, de um olhar alternativo ao que a mídia geralmente lança sobre o futebol, aparentado com os enfoques de João Saldanha, Nelson Rodrigues, Armando Nogueira, Alberto Helena Jr., Sócrates e mais um ou outro que ousou incursionar pelos ângulos sociológicos, políticos, econômicos, psicológicos, épicos e poéticos do esporte das massas.


Mais do que todos, entretanto, quem me mostrou o caminho das pedras foi Norman Mailer, no seu clássico sobre boxe, A Luta (1975). Aprendi com ele que se pode dizer muito sobre nossa sociedade, de forma fascinante, a partir de um grande evento esportivo.


E que, assim, podemos despertar a consciência do homem comum para aspectos que lhe passavam despercebidos, ajudando-o a compreender melhor não só um objeto de paixão, mas também o mundo no qual vive -- primeiro passo para cogitar a possibilidade de o transformar.


Tarefa da qual os elitistas e preconceituosos abdicam, ao reduzirem o futebol a um ópio do povo que não mereceria destaque nos espaços ditos engajados.


E que pode, no outro extremo, servir como antídoto ao rolo compressor da indústria cultural, que tudo faz para insuflar o espírito de
pátria em chuteiras, tão vantajoso para os negócios...

Nenhum comentário: