sexta-feira, 19 de março de 2010

A REPÚBLICA POPULAR DA CHINA PUBLICOU INFORME SOBRE A SITUAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS NOS ESTADOS UNIDOS

A REPÚBLICA POPULAR DA CHINA PUBLICOU INFORME SOBRE A SITUAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS NOS ESTADOS UNIDOS

13 de março de 2010

A República Popular da China publicou o informe sobre a situação dos direitos humanos nos Estados Unidos na qual afirmou que “ o mundo sofre um sério desastre devido a crise financeira produzida por grandes bancos e assinala que a liberdade de imprensa está subordinada ao que chamam de interesses nacionais dos Estados Unidos”, destacando também que Washington monopoliza 10 dos 12 servidores centrais de Internet existentes no mundo e que pretende impulsionar sua hegemonia com o argumento de defender a liberdade na rede.

O documento intitulado Registro de los derechos humanos de Estados Unidos en 2009 aborda temas como a segurança pessoal e da propriedade , os direitos civis, políticos, econômicos, sociais, as garantiras para as mulheres, e crianças, assim como as violações dos direitos básicos nos Estados Unidos e outros paises.

O texto difundido nessa ultima sexta feira, pelo Escritório de Informação do Conselho de Estado da Republica Popular da China, foi em resposta ao elaborado pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos, que na véspera deu a conhecer a sua avaliação anual sobre os direitos humanos no mundo em 2009.

O texto foi elaborado com base em artigos colocados na mídia estadunidense e em informes de organismos governamentais. De maneira similar ao documento anual estadunidense, o texto chinês separa por capítulos os temas, com títulos como “Pisoteando a soberania de outros paises e seus direitos humanos” e Espiando aos cidadãos.

O documento acusa que o informe anual estadunidense é um instrumento político que interfere nos assuntos internos de outros paises, difama a imagem de outras nações e persegue os interesses estratégicos de Washington. “Como nos anos anteriores, o informe está cheio de acusações sobre a situação dos direitos humanos em mais de 190 países e regiões, incluída a China, não dizendo nada sobre os abusos contra as garantias básicas em seu território, nem sobre os excessos que comete com seu poder militar, indica o texto chinês”.

“No tempo que o mundo sofre um sério desastre em direitos humanos causado pela crise financeira global induzida pelos Estados Unidos, o governo segue omisso a seus problemas de direitos humanos e só acusa os outros paises como sendo responsáveis. É realmente uma lástima que isso aconteça”, enfatiza o informe.

Destaca que nos Estados Unidos não é permitida a plena liberdade de mídia e expressão, ao tempo em que são realizados amplamente casos de escuta telefônicas, controle e monitoria da Internet – tudo desencadeado depois dos atentados de 11 de setembro de 2001, assim como é explicita a iniciativa do Congresso de impor sanções ás cadeias árabes de televisão por satélite.

Durante a jornada, nenhum meio informativo dos Estados Unidos havia dado a conhecer o informe chinês. Nem os canais da CNN em inglês ou os informe em espanhol da Radio Nacional Pública, ou os sítios na Internet de diários como o New York Times ou o The Washington Post, todos completamente omissos sobre o relatório.

Ao referir-se sobre a situação dos crimes com violência nos Estados Unidos, o documento assegura que essa situação significa uma ameaça para as vidas, propriedades e segurança das pessoas e suas famílias. Recorda que em 2008 os estadunidenses enfrentaram 4,9 milhões de crimes violentos, 16,3 milhões de propriedades foram roubadas e ocorreram 137 mil assaltos a mão armada. Ao citar o Escritório Federal de Investigação (FBI), o informe indica que houve 14.180 assassinatos em 2008.

Assim mesmo destaca que as escolas se converteram na pior área de violência, devido as freqüentes agressões armadas em universidades e centros de educação básica e média. Também dão conta do abuso de poder de autoridades ao assegurar que nos últimos dois anos os policiais de Nova Iorque acusados por uso de força cresceram em 50% em relação ao ano anterior.

O documento sustém que na maioria das cidades estadunidenses a policia detém, interroga e amedronta a mais de um milhão de pessoas. As prisões estadunidenses estão super-povoadas e em 2008 a número de réus se elevou significativamente. Menciona que o governo da Califórnia pretendia fazer regressar aos seus paises de origem a milhares de não documentados que se encontram detidos nas prisões do Estado, com o propósito de reduzir o excesso de população. De igual forma, cita os casos de abusos referidos pela mídia estadunidense e Nações Unidas e que ocorreram no Afeganistão, Iraque e na base naval dos Estados Unidos em Guantânamo em Cuba.

O extenso relatório explica que em sua qualidade de maior vendedor de armas do mundo, os acordos militares desse país têm gerado instabilidade por todo o planeta, enquanto incrementa seu próprio orçamento militar e encabeça a lista global sobre a matéria.

Recorda que em princípios de 2010 o governo dos Estados Unidos anunciou a venda de armas a Taiwan por 6,4 bilhões de dólares, apesar do enérgico protesto de Beijin já que afeta seriamente o interesse de segurança da China e provoca indignação de seu povo.

Enfatiza também que o Pentágono construiu as bases militares em todo o mundo, o qual se associa com casos de violações dos direitos humanos aos habitantes locais. Destaca que os Estados Unidos contam com 900 dessas instalações que acolhem mais de 190 mil soldados e outros 115 mil empregados, Essas bases danificam e contaminam o meio ambiente.

Ao referir-se ás tecnologias de comunicação, ressaltam que os Estados Unidos negaram as petições de outras nações, assim como de organizações internacionais, incluída as Nações Unidas, de romper seu monopólio sobre os servidores e descentralizar seu poder de gerenciamento sobre a Internet, pois controla 10 dos 12 servidores centrais da rede. Também tem intervindo em assuntos internos de outros paises fazendo uso do controle que tem sobre os recursos da rede e tem a seu serviço uma equipe especial de hackers, enfatiza. o relatório chinês.

Tradução do original em espanhol realizada por Jacob David Blinder

Lea el texto completo de Informe de violaciones de los Derechos Humanos en Estados Unidos en el 2009 (en Inglés)
(Tomado del diario La Jornada)


--------------------------------------------------------------------------------

URL del artículo : http://www.cubadebate.cu/noticias/2010/03/13/china-publica-informe-sobre-la-situacion-de-derechos-humanos-en-eeuu-documento/

Enviado por Jacob Blinder

Nenhum comentário: