quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Para esclarecer REALMENTE as coisas...

...eis a resposta que dei ao Laerte Braga, único adversário à nossa altura nessa polêmica que já está encerrada, mas os propagandistas do sectarismo, da intolerância e da barbárie (linchadores de esquerda, que em nada se diferenciam, moralmente, dos linchadores de direita empenhados em destruir o Cesare Battisti) teimam em atiçar:
Laerte,

que eu saiba, fui à TV com o ouvido estourado ainda gotejando sangue e pus, sob ameaça de morte, aconselhar a juventude a não ingressar numa luta que já estava perdida.

Quanto ao documentário, parece que você não lê nada que desminta suas fantasias: não é obra idônea, tanto que o Darcy Rodrigues já mudou sua opinião a respeito dos fatos ocorridos em 1970 e o cineasta André Ristun se nega a restabelecer a verdade histórica. Deixa produzindo efeitos negativos contra mim uma declaração do Darcy que não representa a posição atual do Darcy.

O termo "acordo" é calunioso, injurioso e difamatório. Não houve trato nenhum e você sabe muito bem disso.

Continuei preso, sem regalias nem vantagens, com a única diferença que deixaram de me torturar, pois não podiam mais arriscar que eu morresse (e eu estivera próximo de um ataque cardíaco no 3º dia da minha prisão).

Quanto ao fato de que você não citou meu nome, ao apoiar a posição do Castor e de toda a banda de música que participava daquele ataque orquestrado contra mim e o Lungarzo, foi, aí sim, uma forma de salvar as aparências.

Você se preservou, enquanto outros, inclusive sua companheira Nanda, faziam o serviço sujo, insinuando que eu estava na folha de pagamentos da CIA e questionando minha condição de revolucionário.

Estou um pouco velho para acreditar que o principal adversário não seja quem comanda os adversários; que alguém como você siga os passos de um Castor qualquer ao invés de apontar o caminho para ele. Sei muito bem como se montam esses rolos compressores "espontâneos".

Enfim, acho estranho que acontecimentos de quatro décadas atrás nada significassem para você até o outro dia e, de repente, ocupem tanto teu pensamento. Também a extrema-direita, quando quer me atacar, não encontra munição mais nova e vai garimpar no arquivo morto.

Finalmente: a oferta de cessação de hostilidades continua em pé. Não vejo nenhuma possibilidade ou interesse em atuar ao seu lado, mas também me desagrada fornecer trunfos à direita, que já os tem demais.

O melhor é que cada um siga o seu caminho e evite, tanto quanto possível, interferir na caminhada do outro.

P.S.: esta nota está sendo postada unicamente aqui, e apenas para oferecer um contraponto à propaganda enganosa que postaram em massa contra nós.

Nenhum comentário: