domingo, 7 de fevereiro de 2010

Marcos desvenda o caso Lungaretti/Lungarzo: Xiita é a mãe dos excomungados

Xiita é a mãe dos excomungados


O entulho de fatos históricos para confundir o tema não resolve o problema nem se chega ao fundo da questão principal a ser esmiuçada. Esse é o caso agora do Celso Lungaretti ter dito que o debate sobre a realidade hondurenha pós-golpe se trata de uma demonização da sua posição e da de Carlos Lungarzo. Ambos teem feito um bom trabalho no Caso Battisti, mas, para caracterizar a posição da Amnesty International em favor dos golpistas em Honduras é vender gato por lebre porque esse governo atual não é mais do que uma extensão do golpe.

Sucede que por ser o Sr. Carlos Lungarzo um membro dessa organização, e Celso Lungaretti por ter se avizinhado o suficiente de Carlos Lungarzo durante a defesa de Cesare Battisti, o Sr. Lungaretti sabe que não pode perder essa oportunidade única de fazer-se confundir com o quadro da Amnesty International. Afinal, uma oportunidade dessas não aparece duas vezes na vida, e o Celso tem penado na sua condição de jornalista e ex-guerrilheiro para obter um lugar ao sol no que concerne as lutas ideológicas que, hoje, por conveniência do grande capital, confunde a direita com a esquerda para obter as óbvias vantagens de um público que não pensa para engolir qualquer balela que se lhes atire sobre qualquer tema.

Então, a questão fundamental é essa: Terias esse novo governo Lobo condições de conduzir uma limpeza em Honduras sem se comprometer com os golpistas? E não asseguraram os golpistas uma total recolhida dos movimentos de desenvolvimento democráticom nacional? E não foi esse governo Lobo conduzido ao poder pelos interesses golpistas?

Eu quero que os Srs. Lungaretti e Lungarzo afirmem que a Amnesty International irá garantir que esse governo não será um governo de continuidade do golpe (!), e que os membros da resistência Zelayista tenham a mesma desenvoltura para levar adiante o seu projeto politico desimpedidamente já que supostamente haveria a garantia de todos os direitos politicos e civis. Essas são as questões de fundo, e que sabemos que não há a mínima hipotese de nenhuma dessas questões serem garantidas nem pela Amnesty International e muito menos pelos Srs. Lungaretti e Lungarzo.


No entanto, esses senhores podem dizer que não são essas as questões a serem
resolvidas ou debatidas agora. Por um simples motivo: porque nenhum deles tem o
poder para reverter o quadro atual e seria melhor embarcar em uma aventura
paralela a fim de não perderem o bonde da história. Porque ambos sabem que são
questões absolutamente perdidas nas suas alçadas, e seria infinitamente mais
conveniente lutar pelos farelos restantes.

Mesmo assim, há de ser ressaltado com ênfaze que em hipotese alguma a situação atual se assemelha ao estado de direito que foi e que tem sido exigido dentro do que estamos acostumados com o governo Zelaya. Logo, se torna imperativo que os Srs. Lungaretti e Lungarzo tomem tenência de que estamos plenamente conscientes de que isso se trata de duas realidades mas que a Amnesty International, os poderes economicos e esses senhores querem fazer valer as duas como uma só em termos de preservação de direitos humanos, civis e de realidade politica.

Senhores leitores, uma farsa para ser aceita toma diversas formas. Em se tratando de politica e de ideologias, a mescla de duas ou mais tendências se faz de maneira que a transição psicológica ocorra sem maiores transtornos e para isso é necessário quem dore a pílula para que uma realidade passe por outra sem maiores constrangimentos tanto para a vítima como para o algoz.
No caso de Honduras é exatamente o que está ocorrendo hoje com essa tentativa de legalizar um golpe e um governo na cara dura. No início era dura, mas agora essa cara está com feição menos carrancuda porque apresenta um falso moralismo na fachada com essa charada de Comissão da Verdade e, vejam bem, ... Lei de Anistia. Oras bolas, não é exatamente essa Anistia que pretende nivelar o campo para que os assassinos se coloquem em pé de igualdade com os assassinados? E não é exatamente essa farsa de Comissão da Verdade que quer fazer de conta que os dois lados estiveram no erro? Quem titubeia nessas duas questões comete um crime de imbecilidade irreversivel e imperdoável.

Agora, tambem querem fazer de conta, para garantir os interesses dos golpistas, que quando se introduz a Amnesty International no quadro tudo deixa de ser o que era para ser uma outra coisa mais aceitável e palatável. Aí está o papel do Sr. Carlos Lungarzo que, para dar mais credibilidade à farsa, traz um ex-guerrilheiro sedento por atenção e prestígio depois de decadas no ostracismo e na obscuridade politica.

Pergunta-se então, qual dos dois agentes, Lungarzo e Lungaretti, teriam a fineza de permanecer no correto e no justo puramente por estarem defendendo a causa do justo, do oprimido, do assassinado e, mais do que isso, dos vivos na resistência dentro dos seus direitos politicos e civis em Honduras? Querem os dois Srs. pretender trabalhar pela causa da justiça, dos direitos humanos e politicos sancionando um "whitewash" pela Amnesty International no golpe mais descarado na América Latina dos ultimos tempos?

No melhor das hipóteses o Sr. Lungaretti pretende que não enxerga a tramóia da Amnesty International em favor dos interesses que planejaram o golpe. Isso para receber um aval e assim terminar os seus dias fora da sombra em que esteve até hoje.

São nesses acontecimentos que conhecemos o poder da excomunhão da antiga Igreja Católica, quando o tempo mostra que a necessidade de reconhecimento fala mais alto no interior do indivíduo do que a busca da verdade e da garantia do direito inalienavel do ser humano.

Xiitas é o rótulo para virar a mesa e cobrir a excomunhão imposta pelos circulos politicos que têm o poder de fazer e desfazer jornalistas.

Marcos Rebello -

Marcos é Estudioso dos arquivos da CIA, Consultor Politico e membro da comunidade diplomática do Brasil

03-02-2010


Sobre a resistencia de Honduras e luta da resistencia contra golpistas e Lobo as noticias são essas:

Terrorismo De Estado segue em Honduras
http://hondurasurgente.blogspot.com/2010/02/terrorismo-de-estado-contra-la.html

NO HACER CONCESIONES AL OPORTUNISMO TAMBIEN ES RESISTENCIA
http://hondurasurgente.blogspot.com/2010/02/no-hacer-concesiones-al-oportunismo.html

Frente Nacional de resistencia Informa: Seguimos decididos a não reconhecer o LOBO - Comunicado 46
http://hondurasurgente.blogspot.com/2010/02/frente-nacional-de-resistencia-informa.html

Nenhum comentário: